Perguntas e respostas: Nutrição

A alimentação é o processo pelo qual nosso organismo recebe os nutrientes necessários para se manter vivo. Encontrados nos alimentos, os nutrientes exercem funções importantes no nosso dia-a-dia.

A alimentação equilibrada é um dos fundamentos da nossa saúde. É ela que fornece todos os nutrientes na quantidade, qualidade e proporção adequadas ao organismo. No entanto, nenhum alimento é completo, ou seja, nenhum deles tem todos os nutrientes em quantidades suficientes. Por isso, para se obter uma dieta equilibrada, nossa alimentação tem que ser variada.

A desnutrição e a obesidade podem estar presentes em pacientes com DRC. Nenhuma das condições é saudável e por esta razão é tão importante seguir as recomendações do seu médico e da nutricionista.

Afinal, o que são os alimentos?

Os alimentos são substâncias que promovem o crescimento do corpo e a produção de energia para diversas atividades do organismo.

Eles podem ser divididos em três grupos: Energéticos, Construtores e Reguladores. 

Quais são os alimentos energéticos?

Alimentos energéticos são aqueles fornecem energia para as atividades do dia-a-dia. Entre eles, podemos citar o arroz, o macarrão, a batata, o milho verde, a mandioca, as farinhas, os pães e os biscoitos.

Certos alimentos – como óleos, gorduras, açúcares e doces – também são fonte de energia, mas devem ser consumidos sem exagero.

O que são alimentos construtores?

São aqueles que contêm as proteínas. Elas são muito importantes para a formação e o crescimento do corpo. Participam da fabricação das células de defesa. Por isso, ajudam na cicatrização.

Exemplos de alimentos construtores são a carne bovina, o frango, o peixe, o ovo, o leite e seus substitutos

Para que servem os alimentos reguladores?

Os alimentos reguladores, como as frutas, os legumes e as verduras, fornecem vitaminas, sais minerais e fibras. Agem no organismo ajustando o seu funcionamento.

Quem faz diálise também precisa de uma alimentação equilibrada?

Como todo mundo, pessoas com Doença Renal Crônica também precisam de uma alimentação equilibrada, mas são necessários alguns cuidados.

Que cuidados?

O paciente renal crônico, por causa de sua condição clínica, não pode eliminar, pela urina, os excessos de potássio, fósforo, sal, líquidos e uréia. Então, essas e outras substâncias provenientes da alimentação acabam se acumulando no sangue. É nessas horas que o médico e o nutricionista, avaliando exames laboratoriais, determinam se deve haver alguma restrição alimentar.

POTÁSSIO

O que é Potássio?

O potássio é um mineral presente nos alimentos, principalmente em alimentos de origem vegetal como as frutas, legumes, verduras e o feijão.

Para que serve?

Ele é muito importante para o funcionamento dos músculos de todo o corpo, inclusive o músculo cardíaco.

O que o excesso de potássio no sangue pode causar?

Pode provocar complicações no coração e fraqueza muscular

É possível reduzir a quantidade de potássio desses alimentos?

Sim. O cozimento em água reduz 60% do potássio das frutas, verduras e legumes. Para tanto, devemos proceder da seguinte maneira:

  • Descasque as frutas ou vegetais;
  • Coloque-as em uma panela com bastante água e deixar ferver;
  • Escorra a água do cozimento;
  • Refogue a gosto.

ATENÇÃO:

A carambola, independente do seu conteúdo de potássio, apresenta uma substância tóxica ainda não identificada, que pode causar desde soluços até coma e morte em pacientes com IRC. Portanto, esse alimento deve ser abolido da alimentação desses pacientes.

FÓSFORO

O que é o Fósforo?

O fósforo é um mineral encontrado principalmente nos alimentos protéicos como carnes, ovos, leite e seus substitutos.

Para que serve?

Juntamente com o cálcio, o fósforo cuida de manter os ossos e os dentes saudáveis.

O que o excesso de fósforo no sangue pode causar?

O excesso deste mineral no sangue pode causar coceiras, dores e fraquezas nos ossos, endurecimento dos vasos sanguíneos, coração e pulmão. Ele também pode se depositar nas articulações levando a dificuldade dos movimentos.

Quais os cuidados que devemos ter com a alimentação? Existe algum alimento que deve ser restringido?

Além dos alimentos citados anteriormente, também encontramos o fósforo nos alimentos industrializados na forma de conservantes, chamados aditivos de fósforo.

O fósforo aditivado é mais biodisponível. Isso significa que a sua absorção no trato gastrointestinal é maior do que a do fósforo encontrado naturalmente nos alimentos. Por esta razão, os alimentos que contêm esses aditivos devem ser restringidos na alimentação dos doentes renais.

Os alimentos que contêm aditivos de fósforo são os industrializados/processados, que estão praticamente prontos para o consumo. Exemplos: O hambúrguer, os nuggets, os produtos instantâneos, os queijos processados, os embutidos (salsicha, lingüiça, mortadela, salame, presunto), as bebidas prontas, as tortas, os bolos prontos, etc.

O que são quelantes de fósforo?

Na natureza, o fósforo está presente em muitos alimentos, principalmente nos protéicos (construtores). Por essa razão, fica impossível eliminar todo o fósforo da dieta. Para ajudar na diminuição do excesso de fósforo, os médicos prescrevem remédios chamados quelantes de fósforo.

No estômago e no intestino, esses quelantes grudam-se no fósforo dos alimentos. Assim, o fósforo é eliminado nas fezes, junto com o quelante, sem ir para o sangue.

Os quelantes de fósforo devem ser tomados às refeições e aos lanches ou, no máximo, até trinta minutos depois. Se ingeridos com o estomago vazio, não vão ter muito efeito.

A dose do quelante varia muito. Depende da quantidade de fósforo na refeição ou no lanche. De maneira geral, refeições maiores precisam de uma dose maior.

O nutricionista e o médico do paciente podem identificar a quantidade de fósforo em suas refeições e assim ajustar a dose.

IMPORTANTE: quando comer fora, o paciente não deve se esquecer de levar o quelante.

SAL E LÍQUIDOS

Por que é tão importante o controle de sal e líquidos na dieta do paciente renal?

O rim é responsável por eliminar o excesso de sódio e líquidos pela urina. Nas pessoas com IRC, isso só acontece por meio da diálise. O excesso de líquidos causa inchaço, água no pulmão, falta de ar, aumento da pressão arterial e exigência de mais esforço do coração.

O que eu posso fazer para ajudar nesse controle?

É recomendável que você use pouco sal no preparo dos alimentos. Se possível, faça tudo sem sal e adicione 1g de sal no almoço e 1g no jantar. Não use sal light ou diet. Ambos têm quantidade elevada de potássio.

Ou prepare o Sal de Ervas. Ao misturar o sal com as ervas secas, você comerá menos sal sem prejudicar o sabor dos alimentos.

Que líquidos devem ser controlados na minha dieta?

Devem ser controlados os seguintes líquidos: água, bebidas alcoólicas, café, chá, gelatinas,gelo, leite, refrigerantes, sopas, sorvetes e sucos.

Quanto de líquidos posso tomar?

De maneira geral para saber a quantidade de liquido permitida por dia é preciso saber quanto de urina, você ainda consegue eliminar por dia (24h). Sabendo isso, é só somar 500 mL, e ai estará a quantidade de liquido permitida por dia. Não ultrapasse! E lembre-se sempre que os alimentos sólidos também têm líquido.

Conheça o livro A COMIDA QUE TRATA, sobre nutrição para Doentes Renais.

Agende sua consulta com um nutricionista.