Acessos Vasculares

O que é a fístula artério-venosa?

A fístula é um jeito que os médicos inventaram para se atingir a corrente sangüínea do paciente.

É por essa fístula que o sangue, sai, vai até o dialisador e depois volta para o corpo.

Ela é a ligação entre uma artéria e uma veia que os médicos fazem por uma pequena cirurgia. Geralmente fica no braço, mas, quando este local não pode ser usado, são escolhidas as veias da virilha ou da perna.

Com o fluxo de sangue mais forte que vem da artéria, a veia fica mais larga e com as paredes mais grossas. Isso faz o sangue circular mais rápido e permite que sejam feitas muitas punções, sem estragar a veia.

Depois da cirurgia, leva algumas semanas até que a fístula esteja em condições de ser usada nas hemodiálises ou, como dizemos, para que amadureça.

Por isso, é bom que esta pequena cirurgia seja feita alguns meses antes do começo da hemodiálise. Desse jeito, quando for necessário, a fístula vai estar pronta para ser puncionada.

Que medidas devo tomar para manter uma boa fístula?

Você é um dos principais responsáveis pelo bom desempenho de sua fístula. A seguir, algumas dicas do que fazer:

  • O braço onde foi feita a fístula precisa estar sempre limpo. Deve ser lavado com água e sabão. Uma boa limpeza evita infecções que podem estragar a fístula.
  • Sempre que chegar à unidade de diálise, antes da punção, lave o braço da fístula com água e sabão, secando em seguida com papel-toalha.
  • Evite apertar o braço da fístula:
  • Não permita que seja medida a pressão arterial no braço da fístula.
  • Não permita curativo que envolva a circunferência do braço.
  • Evite dormir em cima do braço da fístula.
  • Não carregue peso sobre o braço da fístula.
  • Não mexa na crosta formada no local da punção.
  • Não use pomadas e cremes no local da fístula sem ordem médica.
  • Não remova pêlos próximos à fístula (se necessário, será feito pela enfermagem).
  • Faça exercícios diários para ajudar a desenvolver a fístula. Abra e feche a mão, comprimindo uma bola de borracha.
  • Verifique diariamente o funcionamento da fístula pela presença de frêmito (tremor); se você notar a ausência de frêmito, procure imediatamente o centro de diálise ou a emergência 24h.
  • Retire o curativo somente na manhã seguinte à diálise para prevenir complicações (sangramento).
  • Em caso de sangramento, comprima o local usando um pano limpo e ponha para cima o braço da fístula. Se o sangramento for intenso, dirija-se ao hospital.
  • Use compressa de gelo quando houver extravasamento de sangue debaixo da pele (hematoma) no dia da diálise.
  • Use compressas de água morna um dia depois da diálise para que o organismo absorva o extravasamento sangüíneo (inchaço e hematoma roxo) do braço. Isso alivia a a dor e facilita a próxima punção.
  • Não deixe que colham amostras de sangue para exames, bem como apliquem remédios pela fístula, fora da unidade de diálise e sem ordem médica.
  • Qualquer novidade no local da fístula, como calor, vermelhidão, inchaço ou ausência de frêmito, deve ser comunicada às equipes médica e de enfermagem.
  • A fístula artério-venosa deverá ser manuseada apenas por profissionais habilitados.
  • Em caso de dúvida, peça orientações à enfermagem.

E quando a fístula não é possível?

O Cateter de Duplo Lúmen é utilizado quando é preciso começar o tratamento de hemodiálise, mas não se pode usar a fístula. Isso acontece quando ela ainda não foi feita, não está pronta para ser usada ou está com problemas.

cateter-duplo-lumenO Cateter de Duplo Lúmen é um acesso temporário. Ele é bastante seguro. Mais de três milhões de cateters de acesso venoso central são instalados por ano nos Estados Unidos e os médicos cada vez mais recomendam seu uso para infusão de medicamentos.

Esse cateter é um tubo plástico (poliuretano) com duas pontas de cores diferentes para ser colocado, de preferência, na veia jugular interna direita. Essa veia fica no pescoço. Parte do tubo fica dentro da veia e parte, fora da pele. Às vezes, é necessário colocar o cateter em outras veias. Outras opções incluem a veia jugular externa direita, as veias jugulares externa e interna esquerdas (veias localizadas no pescoço), as veias subclávias (localizadas próximas ao peito) e as veias femorais (localizadas na região da raiz da perna ou inguinal).

Para não sair do lugar, o cateter é preso por pontos e um curativo. O curativo só deve ser trocado no centro de diálise a cada sessão.
Quando não é possível fazer uma Fístula artério-venosa ou um enxerto vascular, precisamos instalar um cateter para uso permanente ou de longo prazo (permcath ou splitcath). Este cateter é mais longo, feito de material mole, de silicone, com duas pontas coloridas e deve ser instalado de preferência do lado esquerdo.

As complicações mais comuns são a infecção e a obstrução do cateter. Por isso, os cuidados de higiene são fundamentais.

Que cuidados devo tomar com o Cateter de Duplo Lúmen?

Com o Cateter de Duplo Lúmen, os cuidados são ainda maiores do que os da fístula. O curativo não deve ser molhado. No banho, ele deve ser coberto com plástico e preso com fitas. Os banhos de mar e os da piscina são proibidos, por causa do risco de infecção.

Por que é preferível a Fístula ao Cateter de Duplo Lúmen?

Se um paciente tem um cateter, em vez de uma fístula, a conexão com a máquina é feita por meio desse cateter. Neste caso, agulhas e a fístula não são necessárias.

Pode parecer uma maneira excelente de evitar as agulhas, mas cateteres de diálise costumam apresentar infecções, levam a uma diálise menos eficaz. Eles costumam obstruir e danificar os vasos sanguíneos.

Além disso, os cateteres não duram tanto quanto uma fístula ou um enxerto. Por esses motivos, os médicos sempre preferem a fístula artériovenosa.

Agende sua consulta com um nefrologista